541 Views |  Like

Use e abuse: Estamparia

Digitais x Tradicionais

Que as estampas estão em alta há algumas estações a gente já sabe. E que devem continuar, também!  A consumidora de moda está cada vez mais aberta a aceitar explorar o uso das estampas em seus looks, e de forma cada vez mais intensa: seja usando uma peça com estampa em tamanhos ou padronagens mais marcantes, seja em looks inteiros abusando das combinações de estampas.

Parte desta efervescência em torno do uso de estampas se deve ao crescimento da estamparia digital na moda. Agora, é possível escolher não só entre usar estampas muito discretas ou muito chamativas, mas também entre usar algo feito de forma moderna, ou de forma mais tradicional. Eu adoro esta possibilidade, e às vezes misturo em meus looks (adoro coordenar estampas), peças que venham de ambos os lados.  Para exemplificar estes dois mundos, escolhi quatro marcas que são sinônimo de estamparia de qualidade, e estão na vanguarda (da modernidade ou da tradição).

Que tipo de estampa mais te encanta?

Basso and Brooke: pra quem não conhece esta marca, é preciso dizer que a dupla de designers que dá nome à marca – o brasileiro Bruno Basso  e inglês Christopher Brooke – desenvolve padronagens incríveis, e foram os primeiros a desenvolver uma coleção de moda inteiramente feita com estamparia digital. Atrevidíssimos, desenhavam estampas quase que pornográficas (isso mesmo, seios e genitália fizeram parte da estamparia inicial), mas amadureceram e entenderam como levar sua arte às araras das lojas e ao guarda-roupa das antenadas, e são hoje uma marca pra lá de respeitada. Suas estampas são ícones da estamparia digital, e estão presentes até em garrafas da Coca-Cola.

 

Basso and Brooke

Mary Katrantzou: a designer grega de apenas 29 anos já é uma estrela da estamparia. Mais especificamente da estamparia digital. Está entre a nova safra de estamparias icônicas e como os meninos da Basso and Brooke, é descoladíssima e suas criações habitam guarda-roupas muito especiais. Anna Dello Russo é frequentemente fotografa com estampas da marca. A marca francesa de acessórios Longchamp lançou há pouco tempo uma coleção de bolsas estampadas por ela. Lindas de morrer!

 

Mary Kantrantzou

Emílio Pucci: não dá para pensar em estampas e não pensar em Pucci! A marca que teve seu auge na década de 80, tropeçou e sofreu até conseguir um designer que substituísse com inteligência e criatividade de seu fundador. Hoje, o norueguês Peter Dundas faz o trabalho direitinho. Dundas ainda trabalha a estamparia exclusiva respeitando o DNA da marca,  mas conseguiu modernizar a Pucci e traduzir até para os lisos sua alma sexy e sofisticada. Peças com estampas Pucci das décadas de 60 e 70 são ótimos investimentos vintage.

Emílio Pucci

Missoni: a marca italiana famosa por seus tricôs tem uma estamparia mais discreta, mas muito, muito sofisticada e interessante. Nas mãos da família que a criou, ainda consegue imprimir frescor às suas coleções mesmo respeitando sua alma: estampas, texturas e padronagens que se criam ao sabor de arte, campo, criatividade e acolhimento. As estampas da marca possuem a capacidade de deixar um look arrumado e sofisticado, ainda que muito acessível e bem humorado!

 

Missoni