487 Views |  Like

Tecidos do Inverno 2012

O Glossário Fashion

Por Ana Vaz

Falar de moda é uma delicia e ler pode ser ainda mais gostoso quando se entende o significado de cada peça, material e comportamento. A moda, com sua própria linguagem, pede mais conhecimento e ser antenada significa saber traduzir alguns nomes.

Sem grandes novidades, este inverno aposta em tecidos e estampas sofisticadas e singulares. O motivo? O desejo compartilhado por muitos de nós (consumidores) de unir tradição à excentricidade, classe à descontração, movimento à sofisticação.  É por isso que formas tradicionais como blazers, saias lápis, calças retas, casaquetos, entre outros, feitos em tecidos absolutamente tecnológicos ou luxuosos nos tem sido sugeridos – e temos estado cada vez mais abertos a eles. Pois é sobre esta matéria-prima que tem alavancado as inovações no mundo da moda que vamos conversar: os tecidos.

A seguir, um resumo dos tecidos mais interessantes deste inverno, nada novos, mas utilizados de novas formas e muitas vezes com acabamentos inusitados.

Brocado: o “tecido dos sonhos” como é chamado na Índia, é rico, sofisticado, de caimento pesado. Inicialmente feito a partir da seda, hoje é feito em rayon, cetim e até algodão. Seu bordado é em alto relevo, com fios de efeito metalizado.  Luxuoso, e mais comum em roupas de festa, a proposta para este inverno é trazê-lo aos looks do dia-a-dia, misturado a tecidos mais despojados.

Jacquard: não é um tecido e sim um método utilizado para produzir mecanicamente texturas/motivos no tecido. Até o fim do século XIVIII o jacquard era produzido manualmente, utilizando-se até cinco tecelões. Foi Joseph-Marie Jacquard quem, em 1790, inventou a primeira máquina produtora de jacquard e que reduzia o uso de tecelões em sua confecção, ajudando em sua popularização. A textura ainda traz riqueza e movimento ao tecido e pode ser usada para trazer mais criatividade e suavidade aos looks de inverno.

Rendas: feitas em algodão, linhos até em poliéster, as rendas caracterizam-se por sua delicadeza e feminilidade.  O tecido vazado é trabalhado e entrelaçado para criar motivos diversos. Ela pode ser feita mecanicamente ou artesanalmente. Destacam-se no inverno 2012 as rendas com acabamentos modernos como a resina, que lhe dão efeito plastificado e brilhante, como na coleção de Alexandre Herchcovitch.  Valem também as rendas rebordadas com paetês ou fios metalizados como o lurex. A renda guipure (renda confeccionada com muitos fios, por isso é mais encorpada e com motivos bem definidos/evidentes) é perfeita para peças inteiras e por seu caimento mais estruturado, pode ir até ao ambiente de trabalho quando forrada.

Tule: um tipo de renda (inicialmente produzido na cidade francesa de Tulle), feito hoje de algodão, nylon ou poliamida (material que se usa para fazer as meia-calça), traz delicadeza, leveza e sensualidade ao look. A novidade para o inverno é sua mistura na mesma peça a outros tecidos de tramas mais pesadas. Valem os tules rebordados ou com aplicações.

Veludo: popularizado na década de 70, durante muito tempo o veludo foi um tecido destinado somente aos nobres ou aos endinheirados – originalmente produzido na índia, foram os ricos Italianos quem mais o desejavam .  De textura muito macia e aspecto brilhoso, o veludo pode ser feito em seda, algodão e até poliéster. Neste inverno, o que se viu muito nas passarelas foi o veludo cristal e o veludo molhado, de efeito bastante luxuoso e caimento sinuoso, que desenha as formas do corpo. Uma nova forma de usá-lo: em peças do dia-a-dia coordenado a tecidos mais leves como a seda, ou até a rendas super femininas; ou em peças de festa, com transparências e desgastes propositais.